Archive for the ‘do trabalho’ Category

h1

Novembro 12, 2007

O blogue, bem se vê, anda descuidado. Fruto do muito trabalho no Sexta. E, claro, da falta de vontade temporária.

Entretanto, já vou no terceiro capítulo da crónica A Árvore do Loucos, que assino aos domingos no ComUM. Fica um excerto.

«Pagar por um jornal é hoje, repito, coisa meramente formal. O Meia Hora é melhor que o 24 Horas, jornalisticamente avaliando. E é gratuito. Borlas podem não ser sinónimo de má qualidade, parece-me. Talvez um retrato errado de quem tem os olhos toldados pela engrenagem da coisa. Talvez. Mas não creio.»

Anúncios
h1

ai, o jornalismo

Outubro 25, 2007

sexta1.jpgQuase duas da manhã. Aqui, no Bairro Alto, fecha-se o número um do SEXTA, semanário gratuito que sai para a rua esta sexta-feira, 26. Apesar do cansaço – mais que muito, acreditem – eu cá já tinha saudades destes andamentos. Fazem-me lembrar os tempos do semanário Académico, na Universidade do Minho. Mas com um brutal upgrade de qualidade e meios à disposição.

O jornalismo, o jornalismo.. Gosto disto. É porreiro, pá.

h1

do trabalho

Outubro 8, 2007

Finalmente. Agora que as coisas estão confirmadas, que não há mais dúvidas ou revezes, posso contar aqui o que irei fazer nos próximos tempos. Vou integrar, como jornalista, a redacção do novo semanário gratuito que se prepara para nascer. Chama-se SEXTA e, surpresa, sairá às sextas-feiras.

A coisa, projecto comum do Público e d’A Bola, terá cariz generalista e será um jornal prospectivo, que olha muito para o porvir e muito pouco para o passado, nem que o passado seja ontem. É um jornal de histórias, de pessoas que dão histórias, de projectos e ideias de pessoas que dão histórias. O SEXTA terá no seu modelo de distribuição uma das principais novidades e na tiragem colossal (350 mil exemplares) a sua principal força.

A equipa é composta por elemento do Público e d’A Bola e o jornal, a correr bem, sai ainda este mês. Depois de muitos impasses, de ter estado “quase” neste e naquele jornal, acabei por ser chamado pela casa onde estagiei. Já tinha saudades das redacções e estou feliz por voltar. Finalmente.

Continuarei a escrever para o Público, nos suplementos Economia e Digital, sempre que o tempo assim me permita. Entretanto, há o relatório de estágio para defender este mês e concluir a licenciatura; e uma outra coisa chamada Útil, jornal universitário de âmbito nacional. Já o viram por aí?