Archive for the ‘do cinema’ Category

h1

recital de cinema

Janeiro 16, 2008
jesse.jpg
Como ela disse, e muito bem, é preciso fazer um filme mesmo muito bom quando, no título, se denuncia toda a história. E assim é. O Assassínio de Jesse James pelo Cobarde Robert Ford, altamente recomendável.
Anúncios
h1

dois talentos

Janeiro 11, 2008

o de Tom Hanks, fabuloso neste gutural Filadélfia que lhe valeu muito mais que o Óscar. e o da maravilhosa voz de Maria Callas. é fechar os olhos e ir. boa viagem.

 

h1

cinema: o filão africano

Setembro 22, 2007

   
  

O Fiel Jardineiro, Hotel Ruanda, O Último Rei da Escócia e Diamante de Sangue. Em comum têm o continente africano como tema, o serem recentes, o estarem pejados de estrelas. Mas não são filmes iguais, longe disso. Fica o repto: qual dos quatro é o melhor?

No final, darei também eu a minha opinião.

h1

acabou-se a premiere

Setembro 18, 2007

A Premiere, única revista sobre cinema em Portugal com publicação periódica e distribuição nacional, vai acabar em Outubro. Pode ler-se aqui o texto do seu director, José Vieira Mendes, sobre a decisão; e aqui o comentário do João Lopes, um dos colaboradores da revista.

premiere.jpg

A notícia é triste. Confesso que nunca fui comprador assíduo da publicação e que até, das poucas vezes que ela me chegou às mãos, lhe encontrei algumas coisas (textos) de que não gostei. Mas era, ainda assim, uma revista de cinema, uma revista de cinema em português, que tentava pensar e dizer o cinema da melhor maneira possível – e com parcos recursos.

Espero, como também espera o director da Premiere, que o mercado não seja alheio a este vazio e que surja brevemente uma nova publicação dedicada ao cinema. Seria bom para todos. E teria público. Acredito.

h1

do público e do privado

Setembro 13, 2007

profissaoreporter.jpgCada vez mais, as empresas privadas podem prestar bons serviços públicos. A Fnac do Chiado, Lisboa, está a passar um completíssimo e muito interessante ciclo de cinema italiano. A coisa é gratuita, diária e arranca normalmente às 18h30. Ontem, sem saber da existência da iniciativa, fui surpreendido com o começo de Profissão Reporter, de Antonioni. Belo presente, ainda para mais porque nunca tivera a oportunidade de ver o dito filme. Valeu a pena. E a cadeira nem era tão má quanto isso.

lifemiracle.jpgJá o serviço público deixa, aqui e ali, muito a desejar. A RTP1, há coisa de três dias, passou um filme de referência, filme que muitos portugueses (vá lá, alguns) teriam certamente interesse em ver. A Vida é um Milagre, de Emir Kusturika. O problema é que a fita começou quando já passavam das 02h30. Quase inacreditável.
É que a RTP, mesmo assim bem melhor na sua programação que a mediocridade que prolifera nos canais privados, consegue, não se sabe bem como, dar contantes tiros nos pés, como este – e ainda mantém no seu horário nobre jornalistas tão boçais como é Luís Baila (e quem ontem viu a tragédia da selecção scolariana saberá do que estou a falar).

h1

motelx e avante

Setembro 10, 2007

last_house_left.jpg

Longe do teclado por uns dias, o final de semana trouxe-me cinema e música para contar. Começou na noite de quinta-feira, com o arranque do MOTELx, primeiro festival de cinema terrífico em Lisboa. Sobre a coisa – e seus dois filmes de estreia – escrevi aqui, no Rascunho.

 

imagemdeolinda.jpgChegou a sexta-feira e com ela a tradicional romaria ao Avante. Margem sul, pois claro. O cardápio musical era, dizia-se por aí, um dos melhores de sempre da festa. E, em boa verdade, valeu a pena.
Assim, a puxar depressa os cordões da memória, ficaram-me alguns grandes concertos: os tão portugueses Deolinda; os festeiros da música étnica Fanfare Ciocarlia, vindos da Roménia; Toumani Diabate e uma kora mágica onde parecia caber uma mão cheia de instrumentos; e, ontem, quase a fechar, as músicas intervencionistas de Zeca Afonso pela voz azul de Jacinta, num bonito momento de fraternidade.

Música à parte, a Festa do Avante continua a ser dona de uma auréola que não se encontra em parte alguma. E não é preciso ser-se militante do PCP, que não sou nem serei.
Os anos passam e a festa vai ganhando travo de festival de verão, as cores políticas cada vez pesam menos e o público é bastante difuso, às vezes duvidoso. Mas é nos abraços de quem genuinamente ali vai para ser feliz, para dançar a Carvalhesa aos rodopios, para compartilhar três dias com um brilhozinho nos olhos, é nos abraços e nos olhos desses novos e velhos (os velhos, como gosto eu dos velhos do Avante), é, pois, aí que se faz a verdadeira festa. E, apesar dos tempos, é ainda bonita a festa, pá.

h1

provavelmente a melhor animação do ano

Setembro 3, 2007

ratatouille1.jpg

«Food is fuel. You get picky about what you put in the tank, your engine is gonna die. Now shut up and eat your garbage», Ratatouille