h1

das coisas que prendem

Maio 9, 2007

Há muito que penso escrever sobre homens que param na rua de minha casa para mirar ecrãs. É uma loja da Sony. E perturba-me o poder que exerce sobre as gentes da rua. Muitos são velhos. E tristes. São velhos tristes que moram no vão de escada desta Lisboa que lhes passou por cima.

É vê-los todos os dias, todos mesmo. Hirtos, mãos apoiadas nas grades e olhar vidrado nos pontos de luz. É vê-los, vê-los e pensar (será vê-los a pensar?) na espantosa metáfora existencialista que escondem aquelas grades, aquelas mão velhas nas grades, aquelas barbas a rodearem olhos vidrados e cheios de mãos velhas nas grades. Às vezes apetece-me dar-lhes um abraço.

p.s. – Por força das vontades que me movem e das coisas que me ocupam os dias, tenho escrito mais aqui que aqui.

Anúncios

One comment

  1. Velhos… tristes… abraços… Gostei… Parabéns pela escrita escorreita (e pelos pensamentos humanistas…) 🙂



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: